Fazenda Southall

O presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembléia Legislativa, deputado Dionilso Marcon (PT), junto com o deputado Estilac Xavier, acompanhou as negociações entre Sem-Terras, forças de segurança e autoridades do judiciário no km 455 da BR-290, em São Gabriel, onde a marcha de 250 agricultores, pelo acostamento da rodovia, foi interrompido na manhã desta quarta-feira(22) por ordem da Polícia Federal. Os sem-terras iniciaram a caminhada no dia 13 de novembro em Santana do Livramento.

Durante toda a semana, ruralistas e lideranças dos fazendeiros manifestaram contrariedade em relação a presença da marcha. Uma concentração de cerca de 50 ruralistas com caminhonetes se formou junto a sede da fazenda Giruá, situada às margens da rodovia e prometeu avançar sobre os agricultores caso continuassem a marcha. Na madrugada desta quarta-feira, os sem-terras foram importunados com bombas de efeito moral e tiros, numa clara tentativa de perturbação e intimidação.

No final da tarde do mesmo dia, uma decisão do Juizado Especial Cível de Santana do Livramento proibiu expressamente a ocupação da BR-290. A decisão judicial fala da suspensão das marchas, mas, no local, só há uma marcha. Determina que os agricultores não poderão se locomover na direção dos ruralistas e ficam impedidos de marchar nas rodovias de seis municípios:Livramento, Quaraí, Cacequi, Rosário, São Gabriel e Dom Pedrito, sob pena de multa diária de R$ 5 mil.

Os agricultores receberam a comunicação do interdito proibitório com surpresa. Estamos todos presos, já que não podemos caminhar para nenhum lado, porque por aqui o que mais tem é ruralista vigiando terras ociosas, ponderava um agricultor ao oficial de justiça que leu a ordem. Mais tarde, o mesmo oficial de justiça fez a leitura do documento aos ruralistas, sendo aplaudido.

O deputado Dionilso Marcon mostrou contrariedade com a decisão judicial. Disse que o direito de livre manifestação do cidadão foi cerceado. Ele condenou o atrelamento dos órgãos de segurança aos interesses dos ruralistas. Aqui, eles (os ruralistas) dão um grito e são logo atendidos. É vergonhoso perceber que a Brigada, ao invés de ser solidária com a justiça social, auxiliando na reforma agrária, tome partido do lado deles, observou o deputado. Os deputados estranharam, igualmente, a presença de uma dezena de policiais civis equipados com filmadoras, pistolas, facas e até cassetetes postados ao longo da rodovia, no lado oposto aos Sem-terras. Qual a atribuição destes servidores? Não é a de se limitar à colher provas para eventuais delitos. Mas, qual delito teria motivado o deslocamento de tamanho contingente?, questionava, indignado, o deputado Estilac Xavier. Segundo ele, se houve ilegalidade na ação foi a de impedir que os manifestantes pudessem seguir seu rumo por uma rodovia que é pública, observou.

Os agricultores ficaram acampados no local à noite e nesta quinta-feira para definir os destinos da marcha. Avaliam formas de seguir atéas proximidades da fazenda Southall, uma área ociosa de 13,2 hectares, que está hipotecada ao Banco do Brasil. O proprietário pretende negociá-la com a Aracruz para o pagamento da dívida. O MST quer que o Incra adquira a área para assentar cerca de 70 famílias.

 

 

Publicado em 23/11/2006 às 10:18

Cláudio Sommacal

Compartilhar

Deputadas Estaduais

Stela Farias

Líder da Bancada

Stela Farias

Miriam Marroni

Vice-líder Partidária

Miriam Marroni

 

Deputados Estaduais

Edegar Pretto

Presidente da Assembleia Legislativa

Edegar Pretto

Luiz Fernando Mainardi

Vice-líder da Bancada

Luiz Fernando Mainardi

Tarcísio Zimmermann

Líder Partidário

Tarcísio Zimmermann

Endereço: Praça Marechal Deodoro, 101/506 - Porto Alegre-RS - Fones: (51)3210-2913 (Bancada) e (51)3210-1123 (Imprensa)
ptsul@ptsul.com.br

Projetado, desenvolvido e mantido pela coordenadoria da Bancada do PT/AL-RS

Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Adaptada